Gastronomia

A cozinha de Lisboa, sendo boa e variada, é fortemente influenciada pela sua proximidade com o mar. Esta gastronomia combina admirávelmente a forma mais tradicional com o que é inovador do que está sendo feito hoje no mundo da gastronomia, muito em linha com uma cidade que oferece muito contraste entre o antigo eo moderno. Mas Lisboa é uma cidade nas margens do rio, em frente ao mar, de modo que sua proposta tem que girar, inexoravelmente, ao redor do peixe e marisco, cozido ou grelhado, na maioria das vezes, tão simples, indisfarçável, preservando o sabor real das matérias-primas e à forma de como gostam aqueles que trazem à terra, pescadores, quer num dos muitos bares ou restaurantes de bairro, ou no local de luxo mais sofisticado. Pedir peixe é quase sempre um, digamos, valor seguro.

E a sardinha e o bacalhau são os reis. A sardinha grelhada como se em todo o país, mas em Lisboa é especialmente popular no tradicional feriado de Junho. Especialmente no verão, é prato obrigatório em um típico restaurante ou no terraço da praia, com pimento assado e temperado com azeite Portugués, que é excelente. Com relação ao bacalhau, curiosamente, em Lisboa é onde comem os mais famosos pratos de bacalhau. Apesar de não se sentir especial devoção a esse peixe particular, você deve tentar pelo menos uma vez bacalhau à Brás, com natas, à maneira de Gomes de Sá, ou uns croquetes e pataniscas de bacalhau feitos recentemente, só para dar alguns exemplos . Eles dizem que têm 365 maneiras diferentes de prepará-lo, uma para cada dia do ano. E mesmo a ceia de Natal, cozido, temperado com azeite e servido com batatas, couves e grão cozido. Em fim.

No entanto, os navios que dão cor aos muitos portos de pesca na região – Nazaré, Peniche, Ericeira, Cascais, Sesimbra ou Setúbal- abastecem a cidade com muitos outros peixes e mariscos para cocinar suculentos guisados, sopas de peixe, ou um simples pargo ou robalo grelhado. Mexilhões da Ericeira e Cabo da Roca, os salmonetes, as amêijoas e as ostras de Setúbal; peixe espada de Sesimbra e os crustáceos de Cascais. Passa. Portanto, marisco ou caldeiradas (ensopados ou guisados que são feitos com vários peixes), a sardinha, ou lulas, arroz com mariscos, bacalhau e em todas as suas formas,… são os pratos mais recomendados em restaurantes de Lisboa. No final do inverno, há enguias, e com os peixes de rio podem ser cozinhados muitos outros pratos deliciosos.

Mas o almoço ou jantar mais provável começar com uma sopa. E se não, deveria. Sopa do dia, a mais recomendável. A mais famosa em Portugal é caldo verde. Ele é feito no norte do país, usando uma variedade de couve galega chamada “couve galega”, que cresce entre as vinhas nas margens do Minho, e em algumas hortas de Lisboa. É uma folha de couve longa, que é usada quase exclusivamente para esta sopa, e que nas lojas muitas vezes encontram já preparadas, porque você tem que cortá-la muito bem para esta sopa. Mas todas elas são deliciosas, e dum gosto muito, muito caseiro. A acorda de alhos, por exemplo, é uma sopa com pão de alho, e a canja de galinha um caldo de galinha. Mas há muitas mais. E, como um lanche, numa parada no caminho, você pode pedir no balcão do bar, como se tomasse uma cerveja ou um refrigerante.

A carne de porco, cabra, perdiz, pato, codorna e coelho estão presentes em muitas preparações. Outros pratos populares de Lisboa são aqueles feitos com feijão ou feijoada, muito semelhante ao feijão das Astúrias. Entre as carnes, destacamos o bife com batatas, tripas ou calos, o frango,  coteletas, ou um ensopado de carneiro cozido com vinho, pratos por outra parte muito semelhantes à cozinha espanhola. O “cozido à Portuguêsa” é um prato feito de vários tipos de carne e uma sopa de legumes espessa. Também populares são cebolas fritas, couve servido com fatias de Chouriço e o delicioso pão que acompanha todas as refeições. Outras especialidades da região são o queijo de cabra e de ovelha do Sobral de Monte Agraço e de Azeitão.

E os vinhos?… Se nós temos que tomar cuidado com as bebidas podem recomendar uma vasta gama de vinhos Portuguêses, ambos brancos e vermelhos. Os mais conhecidos são os vinhos tintos do Alentejo, os vinos do Porto e da Madeira, o Vinho Verde e o Moscatel de Setúbal, que normalmente acompanham os aperitivos ou sobremesas. Mas os verdadeiros da área são os de Colares, Bucelas, Setúbal, Carcavelos eo vinho moscatel de Setúbal.

Em termos de cervejas, as mais consumidas em Lisboa e em quase todo Portugal, são Super Bock e Sagres.

Há muitas doces tentações que justificariam a viagem: nozes de Cascais, queisadas e deliciosos “travesseiros” de Sintra”, em Torres Vedras o bolo de feijão, as cavacas de Caldas da Rainha e “trouxas de ovos “, “Fatias da China” em Tomar e muitos outros. Mas também arroz doce, creme, creme de caramelo, e o famoso “pão de Ló “, um bolo feito com ovos e de sabores diferentes. A pastelaria Portuguêsa é muito rica… Mas a sobremesa mais famosa de Lisboa é o pastel de nata, cujo representante mais conhecido são os de Belém, os pastéis de Belem, produzidos na mais antiga fábrica, localizada na freguesia de Belém. Nós não recomendamos a visita no fim de semana porque está sempre a mais de cheio.

Do café portugués só podem ser ditas coisas boas. E se você gosta duma bebida para fechar a festa, nós recomendamos um amarginha (licor típico de amêndoa), um Beirão, que é anunciado como “o licor de Portugal”, ou não meno típico, um bagaço, embora este último, mais próximo do aguardente, pode ser um pouco forte.

Bom apetito!, ou para tirar proveito.